Tempo São Paulo, SP

Últimas Notícias

Estratégia fortalece conhecimento sobre os Biomas

08/20
12:10 2018

Ministério do Meio Ambiente assina acordo de cooperação técnica com o Instituto Arapyaú para compartilhar informações sobre uso da terra.



Nesta sexta-feira, o ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, assinou Acordo de Cooperação Técnica (ATC) com o Instituto Arapyaú de Educação e Desenvolvimento Sustentável. O objetivo é compartilhar informações sobre o uso da terra, no âmbito do Projeto de Mapeamento Anual da Cobertura e Uso do Solo do Brasil (MapBiomas). A iniciativa é uma ferramenta colaborativa da sociedade civil, aberta ao público, que possibilita acompanhar o uso da terra anualmente, de 1985 a 2017.



O acordo entre o MMA e o Arapyaú estabelece, além do compartilhamento de informações sobre o uso da terra, o intercâmbio de conhecimento e experiências, ferramentas e metodologias de interesse estratégico para promover a proteção, conservação, recuperação e o desenvolvimento sustentável dos biomas brasileiros.



"O MapBiomas segue uma tendência nacional e mundial de fortalecer o conhecimento e a disseminação de informações por meio de sistemas e plataformas de monitoramento. O projeto é um instrumento poderoso para que possamos enxergar o resultado de ações de comando e controle, o que permite a uma atuação mais precisa", afirmou o ministro durante o III Seminário Anual do MapBiomas - Três décadas de Transformação do Território Brasileiro.



SEMIÁRIDO



Durante o evento, o MMA apresentou a primeira versão do MapBiomas Árida, sistema de monitoramento da degradação das terras e risco de desertificação na região semiárida do Brasil. O sistema vai ficar disponível para testes a partir de novembro de 2018 e a entrega final está prevista para abril de 2019.



Edson Duarte destacou que a iniciativa é muito importante em um contexto de agravamento dos períodos de seca no Nordeste. Somente na Bahia, por exemplo, 291 municípios estão em áreas suscetíveis à desertificação, de acordo com estudo da Embrapa Semiárido. O estado é o que tem maior área ameaçada. "É um impacto muito grande para o bioma, fauna, flora e sua população expostos ao aumento da temperatura na região", disse.



O MapBiomas Árida é resultado de parceria entre o Ministério, por meio do Departamento de Desenvolvimento Rural Sustentável e Combate à Desertificação, e o Projeto MapBiomas. Trata-se de uma plataforma para monitorar os locais de implantação das Unidade de Recuperação de Áreas Degradadas (Urad), estratégia do ministério para conter a desertificação e reduzir a vulnerabilidade climática no semiárido brasileiro.



Voltada a gestores locais e técnicos de organizações não governamentais e governamentais que acompanham e monitoram as áreas vulneráveis e as iniciativas de mitigação, o MapBiomas Árida tem apoio financeiro do GEF Caatinga e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). A execução é da Universidade Estadual de Feira de Santana (BA) e da Associação Plantas do Nordeste (APNE).


Fonte: Portal MMA

 

 

Comentários (0)

Escreva um comentário





Comentários


Mais Notícias

Brasil e Argentina firmam cooperação para segurança química Leia Mais!
Encontro discute regiões hidrográficas do Sul Leia Mais!
Aprovada resolução para manejo de fauna silvestre e exótica Leia Mais!
Ação brasileira contribui para combate à mudança do clima Leia Mais!
Mais recursos para revitalizar a região do Velho Chico Leia Mais!
Operação resgata 118,5 mil peixes de lagoas ameaçadas Leia Mais!
R$ 228 milhões para expandir energias renováveis Leia Mais!
Desafios para a gestão dos recursos hídricos no país Leia Mais!
Interáguas fortalece gestão das águas Leia Mais!
Brasil pode ter seu primeiro sítio misto reconhecido pela Unesco Leia Mais!
Governo diferenciará desmatamento legal do ilegal Leia Mais!